MENU

Pedro Garcia de Moura

Pedro Garcia de Moura é um artista carioca. Criou o personagem Cartiê Bressão. Como você define a sua profissão quando vai preencher algum questionário?Sabe que pensei nisso hoje? Tenho um filhinho aqui de três anos e minha companheira é cantora. Agora, com o livro, o pequeno fica falando “o papai é fotógrafo, papai é escritor”, e eu pensei o que preencheria nesses formulários de aeroporto. Até falo disso no livro [“Emoção Criativa”, lançado recentemente] e é uma coisa que eu sinto, que tento me definir mais pelos projetos que faço do que por uma profissão. Acho que este caminho de quem faz universidade e tem que se colocar numa gaveta é um pouco limitador. Existe esse certo perigo em se definir. Ser um criativo – alguém que sabe manusear a criatividade – não deve ser fácil. Apesar de te oferecer um monte de possibilidades, não deve ser fácil. Tem uma reflexão que tenho feito no meu caso específico: quem não se limita a uma determinada definição ou rótulo vai tendo que construir a sua carreira de modo que o nome da pessoa traz uma determinada percepção do que ela faz. Desde Wagner Moura, que agora também virou diretor, Chico Buarque, […]
Read More ›

Filipe Catto

Filipe Catto é intérprete, cantor e compositor. Nasceu em Lajeado (RS). A gente tem pensado em formas diferentes de falar sobre assuntos recorrentes em entrevistas, sabe… Sim, tipo “quem são as suas influências”! (risos) É, dá para papear sobre quem você paga pau porque acha foda sem te perguntar se você busca ser igual a alguém… Eu, por exemplo, não costumo escutar nada que se pareça muito comigo. Escuto coisas diferentes, é muito difícil eu ouvir música buscando alimento, não busco exatamente onde as pessoas acreditam que eu busque, tipo “preciso chegar em casa e ouvir um disco do Milton”. Eu não vou fazer isso, apesar de amar o Milton. Entende? Claro! Bom, existe, na sua trajetória, um momento de virada, em que você entendeu que tinha “dado certo”, que viveria de música? Tive vários momentos de confirmação, mas a verdade é que nunca houve um “plano B”. O meu pai é músico, a minha família é de músicos e, mesmo tendo feito faculdade de Design Gráfico, me cerquei de várias artes para poder alimentar a minha música, que sempre foi o que eu fazia bem e de forma natural. Eu era bom naquilo, gostava de música, cantava muito bem. […]
Read More ›

Karen Jonz

Karen Jonz, skatista tetra-campeã mundial, ilustradora e música, é de Santos (SP). Quando você descobriu qual era o seu talento? Eu sei que você tem vários, mas… …Sim, de qual você está falando?! (risos) Haha! Queria saber se teve um momento de clique na sua cabeça, em que você descobriu qual seria a sua profissão. Teve – e acho que foi uns dois anos depois de eu ter começado a andar de skate. Quando comecei, não tinham muitas meninas, e depois de um tempo eu percebi que era – é muito arrogante falar isso – um pouco melhor do que a maioria. Tipo, tinha mais facilidade! Algumas meninas que andavam comigo sentiam medo e não desenvolviam. Teve um momento em que comecei a evoluir rápido e tudo o que me propunha a fazer dava certo: “Quero fazer essa manobra.” Aí ia lá e conseguia. Quantos anos você tinha, mais ou menos? Uns vinte! Comecei a andar com 17 anos e uns três anos depois passei a participar de campeonatos, aí fui vendo que estava ficando sério. Porque, no início, era diversão, eu não tinha nenhuma pretensão de participar de campeonatos. Mas foi acontecendo e, uma hora, decidi que queria me […]
Read More ›

Cícero

Cícero é cantor, compositor e produtor e nasceu no Rio de Janeiro (RJ). Existiu um momento de “clique” na sua vida? Em que você entendeu que a música é a sua profissão, o seu caminho? Ou o processo foi mais orgânico? A música como atividade sempre foi, desde que sou criança toco violão e componho. Desde pequeno mesmo: 10, 11 anos. E já gravava no gravador do meu pai, então, para mim, tocar, compor e gravar sempre foi a mesma coisa, nunca senti muita diferença. Foi um processo único de infância, que fiz muito a vida inteira. Teve sim um momento específico em que isso virou ofício, profissão, e foi recentemente, de três, quatro anos para cá. Antes disso, levei a vida toda do jeito “normal”, fiz segundo grau, faculdade de Direito, terminei, advoguei, fiz estágio… E aí, num dado momento, depois de eu já ter gravado uns cinco discos em casa, por causa de um disco especificamente, a coisa começou a virar trabalho. Então fui deixando as outras coisas e hoje em dia eu faço só isso. Mas continuo com aquelas mesmas atividades de quando era criança, só que agora elas também são o meu trabalho, que é gravar […]
Read More ›

Ana Cañas

Ana Cañas é cantora, compositora e atriz. Nasceu em São Paulo (SP). Queremos saber sobre o seu começo: como você decidiu que música era o seu caminho? Suas origens influenciaram a música que você faz hoje ou você acha que ela já se transformou muito? Bom, esse começo é estranho e inusitado. Eu me apaixonei pela voz da Ella Fitzgerald e saí decorando suas canções (Cole Porter, Gershwin, etc). Não sei te dizer porque isso aconteceu. Quando olho para trás – e já se vão quase uns 12 anos,  só posso imaginar que era pra ser assim mesmo e ponto. Tipo coisa escolhida antes de nascer, ainda lá do outro lado? É isso que eu acredito, de verdade. Minhas origens são tão estranhas quanto esse começo. Música clássica que minha mãe escutava enquanto varria a casa aos finais de semana, radinho de pilha, sacando a musicalidade do narrador do jogo de futebol a 240km/h, trilha sonora de peça de teatro da escola montada em fitas cassete, rádio FM e Chico Buarque. Cresci ouvindo e sentindo (tudo) isso. Quando penso na música que faço hoje, reconheço ecos de todas essa histórias, conscientemente ou não. Acho que esse tipo de memória sempre […]
Read More ›

Camila Honda

Camila Honda é cantora e compositora e nasceu em Belém (PA). A primeira pergunta é sobre uma frase da bio do seu site, que te define como “meio brasileira, meio japonesa e um pouco europeia”. Explica quem é você. É que meus avós por parte de pai são japoneses e vieram para o Brasil fugidos da crise do Japão na guerra. Meu pai já nasceu em Belém e minha mãe é paraense, mas ela tem descendência portuguesa, e eu morei um tempinho em Portugal. Mas não tenho cidadania portuguesa, só japonesa, acabei não vendo se era possível ter três cidadanias. Eu tenho essas referências, sabe? Convivi muito com os meus avós japoneses, convivo até hoje. Você fez mestrado lá em Portugal, certo? Sim, fiz mestrado em Criação Artística Contemporânea… Foi em 2009. Morei lá por pouco mais de dois anos, em Aveiro, fazendo mestrado, e em Lisboa. Ficava um tempo lá e um tempo cá. Eu comecei um estágio em Lisboa e tive uma peça em cartaz ali, de teatro musical. É muito cruel te perguntar qual foi o lugar da mais lindo da Europa que você conheceu? Mais lindo? (risos) Eu gostei muito de Barcelona, foi uma experiência incrível. […]
Read More ›